mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Archive for the ‘emossão’ Category

TINETA

with one comment

 

Mais uma cançãozinha em parceria-pureza com o Risos, gravada ontem num parq de Lisboa com a ajuda do FORTUITO.

Written by bb

March 28, 2011 at 1:17 pm

365 poemas a 1 real

with 4 comments

A Fundação Badtrip de Amparo ao Psicodélico colocou no ar ontem o blog 365 POEMAS A 1 REAL.

O idealizador do projeto, Fred Leal, declarou nesta madrugada:

Descolamos R$ 365,00 pra fazer esse blog. E nem foi via Lei Rouanet, descolei a grana com a minha avó, que concordou em se tornar um mecenas da poesia para o século XXI. Assim, dividi entre a galera da FUBAP e vamos todos gastar essa grana parcimoniosamente ao longo do ano, no intuito de divulgar a nova produção poética nacional.

Sem dúvida, Fred Leal confirma mais uma vez que é um homem de visão.

Assim como Olga Leal, sua avó, que faz o melhor sorvete caseiro da região metropolitana do Rio de Janeiro, o internacionalmente conhecido: OLGA BON.

Enquanto esta bela ideia nascia, eu babava em meu leito vitoriano, acordo hoje e para minha honra, a estreia do projeto é com um poema meu, do Balés, o Dirígivel do Amor, interpretado pelo próprio Fred:

O segundo da série é de Alice Sant’Anna, mandem seus videos, pelo futuro da poesia independente.

Descubraqui como particupar.

Written by bb

March 17, 2011 at 1:21 pm

IPHAN

with 4 comments

Quem tem avó tem patrimônio. Café de vó, bolo de vó, colo de vó, cafuné de vó, voz de vó, cheirinho de vó. Falo das minhas, vasteza de delícias. Ter avó é melhor do que ter numa mesma casa – porque quem tem avó tem casa não tem apartamento – varanda, quintal, árvore, bicho, poço e janelas grandes com boa entrada de luz. É o que penso quando deito nelas, o mundo para um pouquinho, um carinho forte e antigo, de onde será que vem? E quando elas me olham seus olhos são quatro compotas de doce de leite fresquinho dizendo Come mais, comeu muito pouco, anda, dá o prato aqui. E depois disso tirar um ronco em suas camas, as mais macias da paróquia, acordar com serenidade de índio e tomar um café quentinho. Bom assim. Ter avós. Melhor herança. Patrimônio. Bem da humanidade. Quero ser mãe só pra ser avó.

Written by bb

February 28, 2011 at 8:32 pm

Posted in emossão

with one comment

friday night alone in the library reading nietzsche

sad things are beautiful only from a distance
therefore you just want to get away from them
from a distance of one hundred and thirty years
you can call the second half of someone’s life ‘mental breakdown and death’
i’m going to distance myself until the world is beautiful
sylvia plath is going distance herself from wry detachment
until she is accepted by the establishment
but if you forget how to be happy, uh,
therefore you cannot be happy anymore
and a pecan is a kind of nut that can make me cry
if i’m already sad about something else
but if i am really in love with things from a distance only
i’m going to get away from the first half of my life
if you are trying to get meaning from this poem
i am tired of living; if i really want to go back to school
therefore sylvia plath forgot how to create enormous distances
but i’m going to distance myself from this poem
and create an enormous sentence that will kill you
it’ll be the syntax that kills you, later,
when your brain reverses itself
to justify the subjunctive, or something, i don’t know,
i’ll just punch your nose bone into your brain
and that will be what kills you
in court i’ll argue it was the syntax
my lawyer will kill the judge
and that will distract the judge
my lawyer is not really accepted by the establishment
the anti-establishment can make me cry
if i am already tired of life
my lawyer is not allowed to feel sad
until he stops eating animals
i’m going to get away until someone thinks i’m beautiful
i am finally in love with this poem
i’m going to memorize it, i guess

::

Do THIS EMOTION WAS A LITTLE E-BOOK, do Tao Lin, mais um duent mental gênio da rassa.

Autor também de YOU ARE A LITTLE BIT HAPPIER THAN I AM (2006) e E EEEEE EEEE (2007).

Written by bb

February 15, 2011 at 5:17 pm

Posted in emossão

with 2 comments

RELÓGIO DE PONTO

Tudo que levamos a sério
torna-se amargo. Assim os jogos,
a poesia, todos os pássaros,
mais do que tudo: todo o amor.

De quando em quando faltaremos
a algum compromisso na Terra,
e atravessaremos os córregos
cheios de areia, após as chuvas.

Se alguma súbita alegria
retardar o nosso regresso,
um inesperado companheiro
marcará o nosso cartão.

Tudo que levamos a sério
torna-se amargo. Assim as faixas
da vitória, a própria vitória,
mais do que tudo: o próprio Céu.

De quando em quando faltaremos
a algum compromisso na Terra,
e lavaremos as pupilas
cegas com o verniz das estrelas.

::

Alberto da Cunha Melo

Written by bb

December 28, 2010 at 3:24 pm

Posted in emossão

guerra dentro

with 2 comments

(…)

– Quer aprender a arte da guerra?

Sem esperar resposta, o velho disse:

– Esteja aqui amanhã, quando a cor da água do rio passar da cor da asa do estorninho para a cor do nenúfar.

O garoto foi pra casa, pensando: amanhã.

(…)

Manhã cedinho, à primeira luz e ao primeiro passarinho, o menino acordou e saiu devagar, todo mundo dormindo.
Lá estava o velho.
Caminhou até a ponte, aproximou-se do homem e disse:
– Estou pronto.
– Você não serve para a arte da guerra.
– O que foi que eu fiz de errado?
– Qual é o seu nome?
– Baita.
– Você não serve para a arte da guerra, Baita. Não te disse para estar aqui na hora em que a cor do rio passa da cor da asa do estorninho para a cor do nenúfar?
– Estorninho, eu sei o que é, meu pai me disse. Mas o que é nenúfar?
– Não interessa. Porém, se você ainda quiser aprender a arte da guerra, esteja aqui amanhã, quando a voz do vento deixar de dizer adeus e começar a dizer venha.

(…)

Paulo Leminski, Guerra dentro da gente. Editora Scipione, 2006

Written by bb

December 13, 2010 at 10:30 pm

Posted in emossão

se cuida, macalé!

leave a comment »

quero que você chute a minha canela
quero que deite na cama e sinta a dor de dividir
com muito amor não afaste sua cabeça do amor
fique com ela só mais um pouquinho

ela vale a pena, você vale a pena
o encontro a anatomia sexual na vida

mas tive uma onda hoje de comunicação
mas tive uma onda hoje de comunicação
mas tive uma onda de comunicação de amor

eu descobri o amor.

::

Eu nao aguento mais fazer jabá pro Letuce. E acho que vocês também não.

Mas vai mais um: baixem, por favor, o ep COUVES.

São versões pra alguns grandes clássicos da música mundial que atravessa fronteiras e décadas. Assinado Cravo Albim.

Tem lá:

1. Poderosa – Raça Negra
2. You Gotta Be – Desree
3. Que se chama amor – Só Pra Contrariar
4. Seu amor é Rei, versão de Your Love is King, da Sade
5. Baliza, música inédita deles com um refrão de fazer muita inveja a Alcione: “eu to assada de amor”.

Written by bb

August 4, 2010 at 9:59 pm