mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Sérgio Sampaio

leave a comment »

Eu tinha escrito 15 linhas sobre O que todo mundo quer – Ningúem liga, a minha preferida do último disco do Romulo Fróes. Mas eu não gosto nem leio resenhas, sempre opto pela experiência livre ao invés da guiada, principalmente em música, então não vou sacrificá-los. Ouvir é o mais recomendável, baixem o disco que tá liberado pelo artista e ouçam se se interessarem.

Segue o poema.

::

Todo mundo quer o que eu não quero
Um braço de mar, uma linda paisagem
Todo mundo quer, o mais otário
Um dicionário, poemas de amor e de saudade

Todo mundo quer um trapo, um troço, um pouco
Pra botar na sala, pra esconder na cara
Todo mundo quer viver
Como é que eu sei que todo mundo quer?

Então, numa ilusão, mandei parar a produção
dos carros, cortei salários, quebrei faróis,
os si bemóis, Programas de televisão
joguei no chão, meu sonho em vão
deixei lá fora meu país e fui embora
Carnaval e mágoa, agora fico fora da canção

Olha lá, no mundo morto é o nosso amor quem brota
Se pela porta entram os homens numa nova mesma era
Agora, agora a história não, não entro não
Bem do meu peito apossa o rio do teu cordão
Entre duas gemas, dois problemas, dois dilemas
Eu escolho sempre o coração

Todo mundo quer o que eu não quero
Um braço de mar, uma linda paisagem
Todo mundo quer, o mais otário
Um dicionário, poemas de amor e de saudade

Todo mundo quer um trapo, um troço, um pouco
Pra botar na sala, pra esconder na cara
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver

Subo nas árvores, subo na vida
Subo na escada e no poste de luz
Subo na chuva, na nuvem, na lua
Subo no Cristo, na cruz

Procuro do alto, cada vez mais alto
Aquilo que em ti me ilumina e conduz
Nem Deus, nem diabo
És tão engraçado
Mistura de réu e juiz

És meu namorado, pedaço arrancado
De dentro de tudo que fiz e não fiz
Tens nervos de aço, amigas, palhaços
e choras num dia feliz

Irmão disfarçado ou pobre coitado
O sol dessas noites de gelo e de giz
O pólo te abriga e o deserto não liga
Se és feito de lágrimas ou vis

Ninguém liga para nós
Ninguém liga
Nunca ligou pra nenhum de nós

Ninguém ouve a minha voz
Ninguém ouve
Ninguém nunca ouviu nenhum de nós

Desço do carro, desço na vida
Desço a ladeira que leva pro mar
Desço cantando, desço chorando
Peço pra Deus me ajudar

Peço pra quem, ninguém
Eu sei que vivo bem
Cheio de amor pelo que nunca vem
Meu santo é o vento, meu deus é por dentro
E o raio de sol meu altar

Boiando na multidão, ligado no que eles são
Sozinho e comum, tento multiplicar
Os frevos que eu sei, não sei
Os sambas que fiz, não fiz
Os beijos que eu quero te dar

Ninguém liga para nós
Ninguém liga
Dessa vez ficamos sós

Ninguém ouve a minha voz
Ninguém ouve
Acredito agora estamos sós

Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver
Todo mundo quer viver.

::

Written by bb

April 27, 2009 at 2:58 pm

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: