mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Bandido, bandido corazón

with 12 comments

Dizem que o tempo dramático das novelas mexicanas é mais lento por causa do ponto eletrônico que os atores usam em cena. Assim, o texto é falado na medida em que é ouvido – alguns nem decoram – e isso faz com que os atores precisem prolongar mais as reações em cena. Deve ser um exercício enloquecedor de improviso lidar com uma voz eletrônica na tua cabeça, em frente a câmera e todo o resto do ambiente.

De qualquer forma, acho que a culpa dos dramas mexicanos parecerem tão atrapalhados é da dublagem do Silvio Santos. Não conheço muito da teledramaturgia mexicana, mas é fato que o México é melhor em cerâmica. Fato que, aliás, não nos priva da diversão.

Dei essa volta toda porque hoje vi a seguinte pichação num muro recém-pintado de branco na Avenida Santo Amaro:

felipeduardo, amor bandido


Felipe Eduardo estava escrito junto, mesmo, em letra cursiva, o E final de Felipe servia de E inicial para Eduardo. E fiquei pensando sobre os já muito comentados nomes compostos das novelas mexicanas.

Acredito que combinar nomes incombináveis seja um talento. É desafiar o conceito da heteregeneidade entre as moléculas! Principalmente as de som! Envolve Química, Física e Ouvido, é para poucos. Na primeira ouvida soa mal, mas depois entre em cena outra força universal: o costume, aquilo que faz com que qualquer absurdo recorrente possa fazer sentido em algum momento.

Para mais pensamentos inúteis sobre nomes consulte a Mimosa.

E, na falta de assunto mais entusiasmado pra pensar, passei o resto do percurso especulando sobre o tema: será que felipeduardo junto foi só estilo ou pressa? Será que felipeduardo é codinome? Como deve ser ter o amor bandido de um felipeduardo e sentir necessidade de expressar-se pelas avenidas? Ou será que agora no México nomes compostos que terminem e comecem com a mesma letra devem formar uma só palavra?

Jamais saberemos.

Written by bb

February 3, 2009 at 2:56 pm

Posted in cronicidade, duenssa

12 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. tô chocado.
    vc sabe que, enfim, Felipe Eduardo é o contrário de Eduardo Felipe, né?
    hihihi pronto,falei

    wakabara

    February 3, 2009 at 3:10 pm

  2. #jamaisaberás

    felipeduardo

    February 3, 2009 at 3:13 pm

  3. então felipeduardo era você, luiza?

    engraçadinha

    é, jorge, verdade, pode ser eduardo felipe. mas não muda muita coisa…

    bb

    February 3, 2009 at 3:41 pm

  4. não entendi nada, mas gostei do texto.
    e o livro novo? quando sai?
    beijo.

    isaac

    February 3, 2009 at 11:57 pm

  5. De México vcs não conhecem nem metade da missa. Conhece “El Recodo”? É mais ou menos como se uma bandinha do interior de MG tomasse um porre de Mezcal. Dá uma olhada no youtube http://www.youtube.com/watch?v=JXIACeXpjLc&feature=related
    Como se diz na gíria:
    ¡Ay Chaparrita! ¡Bien chingón, güey!

    Paulo Moreira

    February 5, 2009 at 5:54 am

  6. legal essa banda circense mexicana, paulo,

    mas eu prefiro chavela vargas,

    aquilo que é alucinação.

    ela é tipo a alice coltrane da canción ranchera.

    bb

    February 5, 2009 at 2:19 pm

  7. Vou conferir. Acho essas ultra-barangagens sensacionais, muito mais interessantes que Madonna e Britnêi. Parecem coisas de outro mundo, não é? De outro planeta! Acho que potencialmente poderíamos ser assim também. Talvez se o Brasil trocasse o Tom Jobim pelo Vicente Celestino e o João Gilberto pelo Morengueira… Seríamos mais ou menos assim? Em compensação a poesia mexicana é cheia de estetas, clássicos, introspectivos, todos em tom menor, meio anti-Neruda. Deve ser para compensação o esporro.

    Paulo Moreira

    February 5, 2009 at 4:25 pm

  8. falando em poesia chilena, não gosto de neruda.
    nicanor parra sim, é uma lavada!

    bb

    February 5, 2009 at 4:34 pm

  9. acho que se trata do amor bandido entre um felipe e um eduardo… especulações…

    matrioscas

    February 6, 2009 at 2:46 am

  10. dum amor*

    matrioscas

    February 6, 2009 at 2:46 am

  11. anteciparam meu comentário.

    na minha opinão, o amor bandido é entre felipe e eduardo. juntos, pelo menos na pichação do muro.

    guilherme

    February 10, 2009 at 10:04 pm

  12. […] leave a comment » É com muito desapontamento que divido com vocês o desenrolar da história de felipeduardo, amor bandido. […]


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: