mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Mimosa

with 7 comments

Os pesquisadores mais engraçados são os britânicos. Às vezes acho que nos centros de pesquisa britânicos – você já visitou um? – rola muita galhofa. Vários malucos pensando o dia inteiro “vamos inventar um tema bem babaca pra gente pesquisar e depois vamos arranjar uma resposta bem babaca para dar.”

Mas hoje a Luana me passou o link de uma interessante, mas não menos engraçada: “Vacas dão mais leite quando ganham nome”

Quer criar vacas leiteiras muito produtivas? É tudo uma questão de toque pessoal, afirma uma pesquisa britânica. (…) a produção de leite das bovinas pode ser 260 litros mais alta por ano, em média, se seus donos derem um nome aos animais e os tratarem como indivíduos.

Tirando o “toque pessoal”, expressão abominável, acredito e duvido. Penso na neurolingüística e na psicanálise, mas não consigo evoluir sobre que nomes daria pras minhas vacas. Acho que quando você dá nome a uma coisa você estabelece um poder sobre ela. Não sei quem foi que disse isso, mas eu concordo.

E funciona. Nomear é muito sério. A mesma regra serve para os apelidos. Nunca dês um nome em vão! É preciso batuta. O preocupante é que a questão do anonimato já chegou nas vacas, uma vaca-indivíduo produz mais que uma vaca indigente? Valeria um verbete na Britannica?

Só gostaria de saber se o nome, sua origem e/ou força também alteram, de alguma forma, no processo produtivo da vaca. Digo, se eu chamar minha vaca de Constança, ela vai ter mais VIGOR NAS TETAS do que se eu chamá-la de, por exemplo, Leci, que é um nome pouco expressivo?

Pensemos.

Written by bb

January 28, 2009 at 1:17 pm

Posted in instruindo o psit

7 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. Acho que isso tem tudo a ver com a globalização microbiana, tema de imenso interesse e que já está sendo estudado por uma escola do Bixiga. No mais, acredito que o importante seja falar o nome da vaca com carinho, seja Constança ou Leci.

    blf

    January 29, 2009 at 12:58 pm

  2. Exatamente.

    É como viver a indagar se o mais civilizado é o peró peludo ou o tupi pelado.

    bb

    January 29, 2009 at 2:21 pm

  3. Eu não tenho dúvidas de que as pessoas apelidadas de cabeção ou cabeça de melancia pensam que tem a cabeça maior que a média.

    joao~grando

    January 29, 2009 at 4:34 pm

  4. E eu chamando meu hamster de Rato e meu gato anão de Anão… Vai ver que é esse o motivo deles não me respeitarem.

    Marcelo Pierotti

    January 29, 2009 at 5:29 pm

  5. Tenho um conhecido que batizou sua vaca de Clitemnestra e secou a coitada, que acabou virando churrasco!

    Paulo Moreira

    January 29, 2009 at 8:04 pm

  6. É, pensei muito, acho que o nome influi até nas vacas…

    bb

    February 2, 2009 at 3:27 pm

  7. […] Para mais pensamentos inúteis sobre nomes consulte a Mimosa. […]


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: