mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Chula das fogueiras

with one comment

Amor amor meu big amor
eu dizia shazam e tu não me ligavas

pus Mandrake a seguir-te hábil nos truques
e tu não me ligavas

em qualquer planeta verde e avançadíssimo
tu não me ligavas

estendi o meu braço Homem de Borracha até S. Martinho do Bispo
e tu não me ligavas ponta nenhuma

tu querias era casar na Sé Nova
branquingénua abusar do meu livre alvedrio

fiz-te pois um manguito do tamanho dum choupo
e cá estou pai de filhos um bocado estragado

mas não por tua causa que já não existes
ó sombra de sombra à esquina da farmácia.

::

Fernando Assis Pacheco

::

Conheci esse poema, que leio todos os dias desde que o li a primeira vez, pelo Jura. Ele me chamou pelo braço no meio duma festa, na qual nos encontramos sem marcar, e me mostrou. A Endje tinha postado no blog da Modo de Usar e eu não tinha visto antes lá. Lamento todos os dias que passei sem lê-lo.

::

Written by bb

May 12, 2008 at 8:19 pm

One Response

Subscribe to comments with RSS.

  1. genial!

    ana

    May 13, 2008 at 1:05 pm


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: