mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

Paladar

with 7 comments

Quero o luxo de subir na roda-gigante
para ouvir o barulho das agulhas
caindo no chão

Uma trombada de silêncio na gritaria,
desconsertante como cantar alto e trocado
os versos de uma canção conhecida

É tudo que preciso quando não preciso de nada,
a precisão deixo para os flagras,
e os flagras para o coração

Lá de cima, a euforia é parecida
com a de consertar o relógio preferido
sem bateria há dez anos

Esqueço tantas datas – e daí –
não me constranjo, a memória
é um artigo emocional.

Written by bb

May 6, 2008 at 2:23 am

Posted in puemaszeruoito

7 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. maravilhoso poema.

    isaac

    May 6, 2008 at 1:17 pm

  2. bruuuuna
    tá rolando uma onda de inspiração incrível aí, hm?
    gostei!

    Bia Bonduki

    May 6, 2008 at 2:32 pm

  3. Mas a memória não é somente datas (óbvio).
    Lembre do alto da roda, de consertar o relógio.

    joao grando

    May 6, 2008 at 2:39 pm

  4. :D

    bb

    May 6, 2008 at 7:22 pm

  5. Jolie Holland. Lembrei!

    Rodrigo

    May 9, 2008 at 4:06 am

  6. Presente com laçarote de fita vermelha reluzente.

    Tamanho certo na cor predileta, lindo.

    Obrigada.

    nímia

    May 11, 2008 at 11:46 pm

  7. […] processo. É um misto dos dois poemas que eu escrevi pra ela – o poema para encorajar hélices e o paladar – com outras […]


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: