mídias virgens & condessa buffet

nuvenzinha, somatório de vigores, sementério de notícias, melancoriza e dengo

(Do fundo do) Âmago Perplexo

with 2 comments

Di Profundis, do Oscar Wilde, que a Fabrícia me obrigou a ler e que eu to lendo, me agonia pra caralho.

A carta, escrita ainda na prisão (ow foi preso por acusação do pai do pivete Lorde Douglas de que eles tinham um chamego) tem trechos desconcertantes de tão poéticos.

Mas, na maior parte do tempo do até agora que eu li, é só o Wilde jogando na cara do Pivete Douglas (que de tão pivete poderia se chamar CLAYTON), o quanto ele viveu na aba dele.

Tag RANCOR.

E ainda o jogou na prisão!

E ele continuou querendo mais!

Na minha terra, mais conhecida como Hills de Janeth – Goanabara – Braziu, o nome disso é Mulher de Malandro.

cumeu da minha cumida
bebeu da minha bibida
abusou do meu prestígio
social

e não quis
meu amor, não me deu
o seu, fez o sol nascer
quadrado

é como eu resumo o ow falando do Pivete Douglas.

Na leitura contemporânea, o Bonde de Rolê, vingativo, ensina a dar o troco:

“meu tabaco você fuma, minha florzinha você rega, o que nunca vai fazer é tocar nas minhas pregas”

Vou terminar de ler o livro.

Written by bb

November 23, 2007 at 6:05 pm

Posted in instruindo o psit

2 Responses

Subscribe to comments with RSS.

  1. já li esse teu post umas dez vezes. pra mim já é um clássico da exegese wildiana.

    pedro mandagará

    November 25, 2007 at 9:57 am

  2. AHAHHAHAHAHAHAHHA

    bb

    November 27, 2007 at 12:44 pm


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: